A SAÚDE DO HOMEM NA MATURIDADE

  

No momento em que o MINISTÉRIO DA SAÚDE LANÇA A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM, muitas situações ainda causam preocupação. Em todas as partes do mundo, os homens vivem em média 8 anos a menos do que as mulheres, que se preocupam mais com a saúde.

Mudanças, principalmente em relação ao estilo de vida, como: alimentação equilibrada, prática regular de exercícios físicos, saber administrar o estresse, dormir bem, realizar exames médicos periódicos, não se envolver com o consumo de drogas, tanto as lícitas como as ilícitas, satisfação no trabalho e na família, destacando o fator genético que não depende de nós, podem fazer com que o homem chegue aos 90 ou mais anos com saúde e boa qualidade de vida.
Para que aconteça vida longa com qualidade é fundamental que as medidas preventivas sejam adotadas desde os primórdios do desenvolvimento e passando por todas as demais fases da vida. Saúde e aparência constituem objetivos primordiais de um número cada vez maior de homens, melhorando a autoestima.

As doenças que atingem os homens com mais frequência na maturidade são: as cardiovasculares, que tem como principais fatores de risco a obesidade central (barriga), hipertensão arterial, colesterol elevado, tabagismo, sedentarismo, estresse e diabete, contribuindo para acelerar a aterosclerose, câncer, doenças respiratórias, a maioria delas ligadas ao tabagismo e à poluição ambiental; doenças metabólicas, como diabete, hipotireoidismo e osteoporose; doenças reumáticas, depressão, doença de Parkinson, Mal de Alzheimer e cirrose.

Outras condições, como disfunção erétil, hoje passível de tratamento, calvície e os problemas de pele preocupam os homens. O alcoolismo e o tabagismo ainda são mais comuns entre os homens, predispondo ao aparecimento de várias doenças clínicas e psiquiátricas. Qual a melhor idade para a realização da primeira consulta visando a prevenção? Caso haja antecedentes de doenças cardiovasculares na família, a idade recomendada pela Sociedade Americana de Cardiologia é de 20 anos. Conclui-se que, quanto mais precocemente se iniciarem os cuidados com a saúde, mais chances terão de atingir idades avançadas gozando de boa qualidade de vida.

Da mesma maneira que existem serviços médicos destinados à saúde da mulher, devem existir serviços médicos com exclusividade para a saúde dos homens, apesar da sua resistência por questões culturais que comprometem a sua saúde. Importante é ficar alerta para algumas situações, como alterações do hábito intestinal, perda ou redução urinária, prostatismo, dor de cabeça persistente, tonturas, quedas, insônia, tremores, depressão leve (distimia), formigamento nos membros superiores e inferiores, emagrecimento sem um motivo aparente, fraqueza muscular indicando fragilidade física e esquecimento, que poderão representar sinais de que algo não vai bem com o organismo. Estes problemas identificados e corrigidos precocemente visam retardar o declínio físico e manter uma vida independente e ativa e com menores custos à saúde. Entretanto, pode-se concluir dizendo que os homens devem aprender a cuidar melhor da saúde. Não faça uso de medicamentos sem orientação médica.