MASSAGEM MASCULINA


A população masculina nunca se preocupou nem teve como prioridade, cuidar de seu bem estar físico e estético, supondo que tais procedimentos não passavam de vaidades femininas. 

Porém, com os lançamentos da indústria cosmética de linhas dedicadas aos homens e a necessidade cada vez maior de competir no mercado de trabalho, nota-se uma mudança de comportamento muito grande, onde o número de homens procura tratamentos que visem uma aparência física mais saudável, vem crescendo freneticamente. 

De outro lado, percebemos que esteticistas e massoterapeutas também estão passando por um processo de mudança para estarem atendendo a nova clientela. 

Mas creiam: clientes do sexo masculino são extremamente fiéis e, após estabelecida uma relação de confiança, dificilmente este cliente abandonará seu tratamento. O stress, a vida profissional e social agitada, formam verdadeiras couraças musculares, que a massagem compensa este desgaste e traz à tona um ser carente que desacustumado a receber os cuidados de alguém, constrange-se em um primeiro momento, mas passa a gostar da sensação de relaxamento e alívio de dores e de tensões que nossas mãos proporcionam.

1) PELOS 

Os pelos constituem um obstáculo para massagear o corpo masculino. 

Porém, a prática e a experiência nos mostrou que é possível transpor este obstáculo sem privar os homens com muitos pelos de usufruirem os benefícios que uma boa massagem pode trazer-lhes. 

A primeira sugestão que podemos dar é a seguinte: não fazer manobras de deslizamento e amassamento no sentido circular, pois estas poderão entrelaçar os pelos, fazendo bolinhas e, conseqüentemente, puxar e arrancá-los, causando dor e desconforto. 

O sentido correto é o longitudinal, com o uso do óleo como meio lubrificante.

2) MUSCULATURA HIPERTROFIADA

A musculatura masculina é mais volumosa, mais desenvolvida, mas dura e muito firme. 

Isso dificulta a execução de manobras como o amassamento. 

Temos ainda como agravante, o fato dos homens darem preferência à massagens mais firmes. 

Para que o massoterapeuta não fique exausto, nossa sugestão é usar o peso do corpo para efetuar as manobras desejadas e manter as mãos firmes, porém, como se fossem duas almofadas. 

Para evitar a fadiga, o profissional deve desenvolver seu próprio rítmo e alternância de manobras, observando os seguintes requisitos: altura adequada da mesa, ambiente ventilado e temperatura adequada, meio lubrificante de boa qualidade e adequado aos vários tipos e condições de pele. 

Deve possuir um bom condicionamento físico, ter articulações bem treinadas, respiração adequada e uma alimentação balanceada. 

PRECONCEITO

Infelizmente a profissão "massagista" ainda é repleta de chavões e preconceitos pejorativos que denigrem e atrapalham muito a atuação de profissionais dignos, competentes e éticos. 

Muitos homens têm resistência ao toque. Já ouvimos muitos comentários do tipo: "homem não passa a mão em mim". Graças a uma nova conscientização, isto está mudando. 

Felizmente temos ótimas escolas de massagem, associações de profissionais que têm trabalhado muito no sentido de melhorar a formação, o padrão profissional e a ética. 

A cada dia que passa percebemos que a massagem vem crescendo como uma "arte de relaxamento e alívio" e não como uma técnica erótica. 

As entidades de classe vêm recomendando que se substitua a denominação "massagista" por "massoterapeuta" (profissional com curso de especialização).