Pesquisa confirma que massagens têm ação anti-inflamatória

Técnicas são eficazes na reabilitação de músculos que sofreram lesões


A massagem tem uma ação muito parecida com a dos tradicionais anti-inflamatórios e é eficaz na reabilitação de músculos que sofreram lesões.

É o que mostra um estudo divulgado nesta quinta-feira (2) pela revista Science Translational Medicine.

Trabalhos anteriores comprovavam os efeitos práticos da massagem, mas nenhum desvendava as complexas reações bioquímicas que explicam por que ela funciona, segundo Simon Melov, do Instituto Buck, nos Estados Unidos.

- Há consenso de que massagem produz bem-estar. 

Agora, temos base científica para explicar como ela atua.

Normalmente, o esforço físico produz lesões nas fibras dos músculos que levam à processos inflamatórios.

Os cientistas descobriram que a massagem estimula a produção de sinais químicos que diminuem a inflamação, de um modo análogo à atuação de vários fármacos.Ao mesmo tempo, a massagem estimula a geração de mitocôndrias, pequenas estruturas que funcionam como verdadeiras usinas de energia dentro da célula.

Dessa forma, a prática também contribui para acelerar a reconstrução de tecidos musculo-esqueléticos afetados por exercícios físicos ou doenças.

Segundo o estudo, bastariam 10 minutos de massagem para produzir um efeito benéfico perceptível.